Vestibular

CESAR School, que usa prática no cotidiano do ensino, seleciona novos estudantes

Publicado em 22/06/2020 , às 08 h20

NE10

Design e Ciência da Computação são os cursos ofertados no vestibular da Cesar School.  / Foto: Hesíodo Góes/JC360

Design e Ciência da Computação são os cursos ofertados no vestibular da Cesar School. Foto: Hesíodo Góes/JC360

Estar preparado para o mercado e ter uma formação completa. Foi com esses objetivos que a estudante de design Viviane Lins deixou a graduação que fazia em uma faculdade particular para ingressar no curso da CESAR School, cujo processo seletivo está aberto até o dia 17 de julho, com inscrições realizadas de forma online ou uso de nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Antes de virar aluna, Viviane já tinha admiração pela atuação do CESAR no campo da tecnologia, área com que ela tem afinidade. 

“Quando eu soube que eles iriam abrir uma graduação, fiquei muito animada porque já imaginava que seria uma coisa muito legal e diferenciada. O que mais me chamou atenção foi ter a experiência do mercado de trabalho antes mesmo de me formar, porque fazemos parte de projetos com clientes reais e aprendemos exatamente o que o mercado pede. Essa tinha sido uma das minhas frustrações no curso anterior, porque sempre me sentia despreparada para o mercado. Agora é totalmente diferente, a minha experiência mudou muito e eu já estou estagiando”, comemora a estudante do 4º período.

Viviane Lins - Design

Estudante do 4º período de Design, Viviane Lins ressalta a importância
que os projetos realizados no curso trazem para sua formação. Foto: Arquivo Pessoal

Os projetos desenvolvidos por Viviane são realizados por todos os alunos, seja na graduação de Design ou na de Ciência da Computação - os dois cursos superiores oferecidos pela CESAR School, atualmente. De formato integral, com aulas expositivas pela manhã e projetos práticos à tarde, as graduações trabalham juntas e estimulam os estudante a desenvolver competências na prática e em grupo.

“Temos a disciplina de Projetos e sempre fazemos uma prospecção de clientes e demandas reais para contextualizar melhor todo esse aprendizado dos alunos. Elem entendem na prática tudo aquilo que aprendem nas disciplinas e desenvolvem uma solução com essas perspectivas. E assim, com o passar do tempo, essa prática vai evoluindo, as soluções vão ficando mais refinadas, mais adequadas aos períodos e mais inovadoras. A nossa proposta e o nosso desejo é que eles criem novas empresas, novas startups, novos negócios. Além disso, o que a gente acredita ser muito positivo é esse fator da integração entre os cursos. Não existe uma área que prevalece sobre a outra, é uma decisão conjunta. Existe esse trabalho de compatibilidades gerenciais, saber gerenciar conflito, dialogar com a equipe, com o cliente, com o usuário, e observar todo o impacto que essa solução vai causar quando for aplicada”, conta Luiz Araújo, coordenador do curso de Design.

O bacharelado em Design destaca, entre os seus pontos principais, a formação de profissionais com bases científicas e tecnológicas adequadas à realidade de mercado, como detalha o professor. “Em linhas gerais, o curso tem como proposta a adequação ao que a gente vive em termos de complexidade, porque antes você tinha muito bem delimitadas as áreas de design gráfico, industrial, digital… E hoje em dia a gente tem um cenário diferente, onde é muito difícil criar uma solução sem pensar no aspecto total do produto. Então, a perspectiva do curso é justamente essa: o momento em que a gente cria e analisa a demanda, o problema do cliente ou da sociedade. A gente trabalha muito com o design pensando no usuário, valorizando aspectos das pessoas e a integração destas com a sociedade, o meio ambiente e o impacto econômico desse processo”, acrescenta o coordenador.

Luiz Araújo - Design

Luiz Araújo, coordenador do curso de Design, destaca a importância do entendimento do usuário
durante os projetos realizados na Cesar. Foto: Alcione Ferreira

A colaboração entre os cursos oferecidos pela CESAR School também é ponto de destaque da estudante do 4º período de Ciência da Computação, Anna Gabriela Carvalho. Também vinda de outra instituição, a mudança para a School não gerou arrependimento pelo tempo "perdido", pergunta comum quando ela fala dos seus quase 3 anos em outra faculdade.

“Estou terminando o 4° período e, sem dúvida alguma, foi a melhor escolha que fiz e não tenho nenhum arrependimento. Consigo ver muito claramente todos os benefícios que isso me trouxe. Só de estar ali no ecossistema, bem no meio de onde tudo relacionado à tecnologia e inovação acontece, já é um grande diferencial. Tive muitas oportunidades desde que comecei. Sobre a parte acadêmica em si, é totalmente o oposto do que eu tinha antes, me vejo constantemente motivada. A gente tem uma relação mais próxima com os professores e com a coordenação, o conteúdo é sempre muito voltado para a prática, a gente sente que tem voz e que os feedbacks que passamos para a instituição geram um retorno”, detalha a estudante.

Anna Gabriela - Ciência da Computação

Anna Gabriela Carvalho, estudante do curso de Ciência da Computação, teve a oportunidade de participar
de diversos eventos ao longo da graduação. Foto: Arquivo Pessoal

A experiência de vivências reais nos projetos desenvolvidos, além deixar os estudantes mais preparados e confiantes para a inserção no mercado de trabalho, contribuem com a formação e em como eles vão gerenciar essas experiências. Anna Gabriela, que está estagiando na área, destaca também as iniciativas apoiadas e desenvolvidas pela instituição. 

“Um dos principais diferenciais é isso de poder por em prática o que estamos aprendendo, o que faz com que o aprendizado seja muito maior e que a gente fique mais motivado também. Outra coisa que é muito legal é que o CESAR abraça várias iniciativas. Por exemplo, eu pude inscrever a School como host em um evento de programação do Google - eles deram todo o apoio, com sala, material, coffee break. Também faço parte de uma comunidade de mulheres em computação que tem aqui no Recife, o Women Who Code Recife, e ano passado organizamos uma série de eventos para ensinar mulheres a programar. A CESAR School deu todo o apoio que precisávamos também. Sempre tem algum evento ou iniciativa legal acontecendo por lá e é muito massa estar no meio disso”, enfatiza.

O coordenador do curso de Ciências da Computação, Felipe Ferraz, acrescenta que a graduação busca formar profissionais para a solução de problemas no mundo real. “A gente tenta trazer um viés muito prático para ambos os cursos. Esse relacionamento profissional com coisas reais vai muito além do conhecimento técnico, porque você está trabalhando em equipes para resolver um problema que existe. Em Ciência da Computação, o estudante desenvolverá produtos, irá propor ideias para aplicações e serviços para os problemas existentes em qualquer área de informática e de tecnologia da informação”, explica.

Felipe Ferraz - Ciência da Computação

Integração entre os cursos é fundamental na construção dos projetos práticos, ressalta Felipe Ferraz,
coordenador de Ciência da Computação. Foto: Alcione Ferreira

E mesmo tendo atividades nos dois turnos, em ambos os cursos - Design e Ciência da Computação -, Felipe ressalta que, com a rápida inserção dos estudantes no mercado, seja como estagiários ou profissionais, a instituição busca organizar a disciplina de Projeto para que não haja perda de conteúdo ou prática e que eles se mantenham nos estágios. “Nós temos um desafio, mas é um desafio bom, que é o fato de muitos dos estudantes conseguirem estágios. Então, para manter a continuidade nos projetos realizados na parte da tarde, fazemos alguns quebra-cabeças para melhor ajudar todo mundo”, assegura.

Ensino remoto

Nos últimos meses, os estudantes e profissionais da CESAR School passaram por mudanças na forma de ensinar e aprender, assim como boa parte das instituições, em função do novo coronavírus. Com o novo cenário de aulas no formato remoto, adaptações foram feitas, e manter o calendário foi um dos principais pontos para as graduações da School continuarem em dia. As estudantes Viviane e Anna Gabriela estão vivenciando isso, mas garantem que o ensino não foi prejudicado.

“Foi um desafio para todo mundo, tantos professores como alunos, e aconteceu num momento já difícil, mas o que eu achei muito legal foi como eles conseguiram se adaptar muito rápido. Claro que tem suas dificuldades, para todos, mas, no geral, está rolando super bem. As aulas acontecem de forma remota e, apesar dos pesares, o que mais me impressionou foi a rapidez de se transformar e dar um jeito para tudo funcionar para os alunos”, comenta Viviane.

Anna Gabriella reconhece a dificuldade que o novo formato traz, mas assegura que a continuidade no curso foi a melhor opção. “Sendo bem honesta, não é fácil, mas nada disso é. É uma situação bem adversa, mas tenho gostado principalmente por não atrasar o curso. Apesar das dificuldades naturais, a gente consegue notar o esforço dos professores em tentar se adaptar, para conseguir passar o conteúdo e, ao mesmo tempo, não sobrecarregar os alunos. Dá para notar também o apoio e o esforço da instituição como um todo em tentar nos ajudar com o que for preciso, seja com material, ouvindo feedbacks ou provendo ajuda psicológica nesse período”, complementa. 

Estrutura Cesar 1 LM (1)
Inscrições para o vestibular vão até 17 de julho no site da Cesar School. Foto: Luisi Marques/JC360

As adaptações remotas trazidas pela CESAR School para as aulas também se estendem ao vestibular, que está com as inscrições abertas até o dia 17 de julho. Todas as etapas serão realizadas de forma online. Ao todo, são três fases: a primeira é a inscrição; a segunda, o mapeamento de competências de raciocínio lógico. Por fim, é a vez da entrevista com o candidato. 

Além de quem participa da seleção por etapas, também podem se inscrever os candidatos interessados em aplicar sua nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) - podem ser utilizadas as notas obtidas a partir de 2010. A inscrição para as duas modalidades deve ser feita pelo formulário online no site da instituição, colocando seus dados e a opção de curso, como explica o coordenador de Design.

Estrutura Cesar 2 HG (1)
Todas as etapas do vestibular da CESAR School serão online. Estudantes passarão
por 3 etapas de seleção. Foto: Hesíodo Góes/JC360

“É importante que o candidato preencha a inscrição com os seus dados ou, caso o responsável faça a inscrição, que ele preencha com os dados do estudante. Depois disso, será agendada a prova, que abordará o raciocínio lógico, algo importante que percebemos nos dias de hoje. Por fim, acontece a entrevista, que é uma etapa onde já começamos o processo de imersão do estudante, porque já remete à ideia de entrevista de emprego ou estágio. Vamos observando as características dos estudantes e é importante que ele tenha calma, respostas bem pontuadas. Não precisa ficar nervoso, porque é um processo para conhecer o estudante. O que vale é ser verdadeiro e ficar tranquilo”, indica.

PALAVRAS-CHAVE: educação vestibular cesar jc360

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.


Vitrine NE10
Fechar vídeo