EDUCAÇÃO

A hora de apresentar os pequenos ao mundo das letras

Publicado em 28/11/2018 , às 13 h57

JC 360 NE10

A introdução das crianças ao mundo das letrinhas pode ser um momento encantador / Foto: Foto: Divulgação/ Colégio GGE

A introdução das crianças ao mundo das letrinhas pode ser um momento encantador Foto: Foto: Divulgação/ Colégio GGE

A introdução das crianças ao mundo das letrinhas pode ser um momento encantador também para papais e mamães. Ensinar aos pequenos as primeiras lições sobre ler e escrever, além de aumentar o vínculo emocional, faz como que a família colabore com o aprendizado escolar, proporcionando um entendimento ainda mais completo do assunto abordado em sala de aula.

Para crianças de 4 e 5 anos de idade, é primordial o desenvolvimento da consciência fonológica, nome dado à relação entre grafema e fonema, ou seja, entre o som e o desenho (grafia) da letra. As pedagogas Amanda Rangel e Ana Paula Calado separaram dicas especiais para ajudar os pais a explicar a novidade para a criançada.

A primeira delas é que, antes de começar a propor atividades de leitura e escrita, os pais devem estar atentos se a criança possui boa habilidade oral. É só observar como o pequeno se comunica, prestando atenção se consegue transmitir conteúdo de forma satisfatória e se o que ele fala tem coerência. O vocabulário é outro ponto a ser considerado: se ele é amplo e enriquecido, a criança está preparada para ser introduzida ao mundo das letras.

Se os pais tiverem dificuldade de fazer essa análise sozinhos, é recomendado buscar auxílio de  um fonoaudiólogo (a), para que ele (a) faça uma triagem e, se houver necessidade, dê início a um auxílio clínico.

Brincadeiras

As atividades em si devem fazer com que os alunos se familiarizem com o som que cada letrinha produz, aprendendo a associá-lo à forma escrita.  Uma dica é usar uma caixa de sapato preenchida com areia. Com a caixa pronta, basta pedir para a criança escrever na areia a grafia de uma letra. À medida que o filho ou filha escreve, os pais devem repetir o som da letra. Uma alternativa ainda divertida é reproduzir a atividade na areia da praia.

”Também é interessante espalhar objetos pela casa e pedir que a criança leve até os pais aqueles que contenham o som que esteja sendo falado por eles”, acrescenta Ana Paula Calado, coordenadora pedagógica do Colégio GGE.

A rima também é uma alternativa interessante para estimular as correspondências entre as sílabas. É só falar uma palavra, como “banana” e então perguntar ao pequeno com qual palavra ela rima e assim por diante.

Quer saber mais sobre como ajudar a criançada a desenvolver corretamente a consciência fonológica? Clique aqui e assista ao vídeo completo gravado pelas educadoras.

Continue Lendo

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.


Vitrine NE10
Fechar vídeo