Transporte

Aumento das passagens: juiz define até terça validade do reajuste

Publicado em 20/01/2016 , às 11 h28

Do JC Trânsito

Após a reunião anel A ficou em R$ 2,80 e o B em R$ 3,85 / Foto: Júlio Cirne/JC Trânsito

Após a reunião anel A ficou em R$ 2,80 e o B em R$ 3,85 Foto: Júlio Cirne/JC Trânsito

O juiz José Marcelon Luiz e Silva definirá até a próxima terça-feira (26) se manterá a validade da reunião do Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM) que aumentou as passagens de ônibus na Região Metropolitana do Recife. Se ele anulá-la, cai também o reajuste das tarifas. O anel A ficou R$ 0,35 mais caro e passou a custar R$ 2,80 nessa terça-feira (19).

A queixa ao Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) foi feita por Márcio Morais, representante dos estudantes no Conselho e integrante da Frente de Luta pelo Transporte Público. Márcio afirmou que teve negado o pedido de vistas de 30 dias do processo que trata do reajuste das passagens. A denúncia é contra o secretário das Cidades e presidente do CSTM, André de Paula (PSD).

Em despacho dessa terça-feira, o magistrado intimou o governo do Estado a se manifestar sobre o caso em 72 horas - ou seja, até sexta (22).

O aumento das passagens foi o proposto pelo Grande Recife Consórcio de Transporte, de 14,42%. O percentual está acima do IPCA (Índice de Preços do Consumidor Amplo), que está em 10,45%. O órgão afirma que entraram na conta diversos fatores, como custos com combustíveis e despesas trabalhistas.

Antes mesmo de o reajuste ser definido, a Frente já havia feito um protesto na última sexta-feira (15). O grupo saiu da Praça do Derby pelas principais vias da área central do Recife até o terminal do Cais de Santa Rita, onde houve confusão e policiais militares dispararam balas de borracha. Um novo ato será realizado uma semana depois (22).

Continue Lendo

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.


Vitrine NE10
Fechar vídeo