MUNDO

Indiano diz que vai processar os pais por ter nascido sem ser consultado

Publicado em 08/02/2019 , às 12 h19

BLOG O VIRAL

Indiano diz que vai processar os pais por ter nascido sem ser consultado / Foto: Reprodução/YouTube

Indiano diz que vai processar os pais por ter nascido sem ser consultado Foto: Reprodução/YouTube

Como diz a música de Lulu Santos: “eu não pedi pra nascer”. É exatamente isso que pensa um indiano de 27 anos que afirmou que vai processar os pais por ele ter nascido sem consentimento. Segundo a revista Exame, Raphael Samuel não aceita o fato de não ter sido consultado sobre sua vontade de nascer e diz que os pais não são donos dos filhos.

No vídeo “Por que eu estou processando meus pais?”, publicado no YouTube, o participante de um grupo antinatalidade defende que as pessoas não deveriam nascer para sofrer e que os pais não têm o direito de ter um filho sem o consentimento da criança. “Não fomos perguntados se queríamos nascer […] Nascer não foi sua decisão e você não pode ser responsabilizado por algo que não é uma decisão sua”, alegou Raphael, usando uma barba falsa e óculos escuros.

Para ele, “a humanidade não faz sentido”, já que “muitas pessoas estão sofrendo”. “Se a humanidade fosse extinta, a Terra e os animais seriam mais felizes”, disse. Apesar das reivindicações, o indiano tem consciência de que um ser humano que ainda não nasceu não tem como consentir algo, mas está a procura de um advogado que aceite defender o caso.

Em post nas redes sociais, a mãe de Raphael, Kavita Samuel, disse que, se ela puder dar “uma explicação racional de como poderia ter consentido seu nascimento, ela aceitará a culpa”. Apesar do posicionamento do filho, ela também disse que fica “muito feliz” por ele ter crescido “destemido e independente.

Assista ao vídeo:

Via Blog O Viral

PALAVRAS-CHAVE: interior pais processo indiano

Continue Lendo

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.


Vitrine NE10
Fechar vídeo