História

Bebê deixado em caixa de sapato cresce e vira juiz da Vara da Infância e da Juventude

Publicado em 05/02/2019 , às 15 h12

NE10 Interior

 / Foto: reprodução/TV Jornal Interior

Foto: reprodução/TV Jornal Interior

O juiz José Fernando Santos de Souza atua na Vara da Infância e da Juventude de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, que atende dezenas de cidades da região.

O que nem todo mundo sabe é como começou a história dele. Quando bebê, o juiz foi deixado pela mãe biológica em uma caixa de sapatos e entregue a uma dona de casa em uma praça.

Criado pela dona de casa e pelo marido, policial militar, o juiz aprendeu sobre a importância da adoção e o desenvolvimento do trabalho em prol de crianças e adolescentes.

O juiz tem muita gratidão com os pais adotivos. "O importante foi o carinho, o amor que eles me deram e, principalmente, estudo. Você não tem outra possibilidade de galgar alguma coisa na vida sem estudar", afirmou José Fernando.

Hoje tem esposa, três filhos e três netos, e trabalha para tornar a vida de crianças e jovens melhor. "É um trabalho que eu decidi, como se fosse um sacerdócio mesmo, vir para cá e fazer esse trabalho", afirmou.

Veja na reportagem do "Povo na TV", da TV Jornal Interior:

PALAVRAS-CHAVE: agreste caruaru interior

Continue Lendo

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.

  • De: Célio - 11/02/2019 12:27 Isto mostra claramente que Pais é quem cria e não quem gerou. Um grande exemplo a ser seguido, por quem Filho adotivo, em vez de está atrás dos Pais biológico, tem adorar os Adotivos.
  • De: Helder Caires- 07/02/2019 06:11 O Sr e a família que o adotou são motivos de orgulho para a humanidade. Obrigado por existirem.
  • De: jorge- 07/02/2019 05:34 REVELOU SER DE CROMO ALEMÃO E FORRADO COM PELICA DE PRIMEIRA.
  • De: silas- 07/02/2019 05:10 Querer é poder...Parabéns ao magistrado por honrar a sua família verdadeira e o povo brasileiro...
  • De: Diniz- 06/02/2019 23:25 Se tivessem deixado no asilo, então seria o cara da vara da terceira idade?
  • De: José Antônio Resende Pinto- 06/02/2019 22:59 Que bom, por este exemplo se vê a importância da família e dos estudos para o ser humano que quer crescer e ser útil ao mundo.
  • De: antonio carlos neves de menezes- 06/02/2019 22:04 É uma história de vida inspiradora. Esse juiz é uma pessoa extraordinária. Deus o abençoe de maneira especial.
VEJA MAIS COMENTÁRIOS

Vitrine NE10
Fechar vídeo