Descaso

Circuito da Poesia: o descaso da cultura recifense

Publicado em 19/06/2016 , às 10 h40

Ingrid Cordeiro NE10

Estátua de Ascenso Ferreira, importante poeta modernista, observa o Rio Capibaribe enquanto o monumento sofre com a ação dos vândalos / Foto: Ingrid Cordeiro / NE10

Estátua de Ascenso Ferreira, importante poeta modernista, observa o Rio Capibaribe enquanto o monumento sofre com a ação dos vândalos Foto: Ingrid Cordeiro / NE10

“Recife, teu céu tão bonito. Tem noites de lua pra gente cantar.” Em ‘Recife, cidade lendária’, o mestre Capiba, assim como os 12 poetas que compõem o circuito de estátuas no Recife, declara o seu amor pela Veneza brasileira. A relação da cidade com cada personalidade foi intensa o suficiente para que cada um fosse eternizado. Uma pena mesmo é o péssimo estado de conservação dos monumentos que mostra o desprezo da cidade com a própria cultura.

O Circuito da Poesia  é frequentemente visitado por turistas e recifenses todos os dias no coração da cidade. Rua da Aurora, Bom Jesus, Ponte Maurício de Nassau e Praça Maciel Pinheiro são só alguns pontos do circuito onde poetas como Manuel Bandeira, Ascenso Ferreira e Clarice Lispector dão o ar da graça.

O problema é que, quando se deparam com eles, as informações nas placas simplesmente não existem mais, com exceção da estátua de Mario Mota, localizada na Praça do Sebo próximo à Avenida Guararapes. No local, uma folha colada no lugar da placa pelo Mangue Cultural informa os visitantes sobre o poeta.

Entre as estátuas em pior estado, a de Ascenso Ferreira, figura pertencente a primeira geração do modernismo, foi pichada por vândalos. Ao se deparar com o monumento, a reportagem ouviu Leda, advogada e turista catarinense, que não sabia quem era a figura representada em frente ao Paço Alfândega. “É muito triste se deparar com isso, pois é uma falta de respeito com as pessoas ilustres da cidade”, disse a turista.

De acordo com a Empresa Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb), em 2015 foram investidos R$ 115 mil no processo de restauração do circuito. Ainda segundo a empresa, uma nova restauração está planejada para o segundo semestre deste ano. O órgão acrescenta que investe anualmente cerca de R$ 2 milhões com reparos nos monumentos que são alvo dos vândalos.

IMPORTÂNCIA CULTURAL- A estátua de cada poeta que figura nos bairros do Centro do Recife são de grande importância para a continuação da poesia no encantamento do povo recifense. Segundo o professor do Departamento de Letras da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Lourival Holanda, a poesia é um “antídoto para o tédio” e tem sua importância como parte da cultura de um lugar. “A poesia é a cultura que permite ver além do imediato. Um verso de Bandeira exige mais do leito, por exemplo, pois a prosa é como alguém que anda e a poesia é um passo de dança”, filosofa o professor.

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14

Circuito dos Poetas - Recife

Na Rua do Bom Jesus, Antônio Maria convida para uma conversa.
Crédito: Ingrid Cordeiro / NE10

Circuito dos Poetas - Recife

Chico Science saúda os que visitam a Rua da Moeda.
Crédito: Ingrid Cordeiro / NE10

Circuito dos Poetas - Recife

Sentado em cima de livros, o poeta Ascenso Ferreira observa o Capibaribe.
Crédito: Ingrid Cordeiro / NE10

Circuito dos Poetas - Recife

Ascenso Ferreira, pichado, observa o Recife e as suas pontes.
Crédito: Ingrid Cordeiro / NE10

Circuito dos Poetas - Recife

O poeta Joaquim Cardozo observa o Recife da ponte Maurício de Nassau.
Crédito: Ingrid Cordeiro / NE10

Circuito dos Poetas - Recife

O olhar atento do poeta Joaquim Cardozo aos que passam pela ponte Maurício de Nassau.
Crédito: Ingrid Cordeiro / NE10

Circuito dos Poetas - Recife

Carlos Pena Filho observa a movimentação na Praça da Independência.
Crédito: Ingrid Cordeiro / NE10

Circuito dos Poetas - Recife

Mauro Mota lê um de seus poemas na Praça do Sebo.
Crédito: Ingrid Cordeiro / NE10

Circuito dos Poetas - Recife

Capiba saúda os que por ele passam na Rua do Sol.
Crédito: Ingrid Cordeiro / NE10

Circuito dos Poetas - Recife

Solano Trindade, pintor e folclorista, dá o ar da graça no Pátio de São Pedro.
Crédito: Ingrid Cordeiro / NE10

Circuito dos Poetas - Recife

Luiz Gonzaga abre o seu sorriso característico, em companhia da sanfona, em frente a Estação Central do Recife.
Crédito: Ingrid Cordeiro / NE10

Circuito dos Poetas - Recife

Clarice Lispector segura sua inseparável máquina de escrever, enquanto observa a movimentação na Praça Maciel Pinheiro.
Crédito: Ingrid Cordeiro / NE10

Circuito dos Poetas - Recife

João Cabral de Melo Neto observa o Rio Capibaribe e convida todos a sentarem com ele próximo a ponte Princesa Izabel, na Rua da Aurora.
Crédito: Ingrid Cordeiro / NE10

Circuito dos Poetas - Recife

Manoel Bandeira observa o Rio Capibaribe da Rua da Aurora. A estátua fica em frente a Assembleia Legislativa.
Crédito: Ingrid Cordeiro / NE10

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.

  • De: Nando- 19/06/2016 18:18 Um elemento desse que faz um vandalismo desse ou deve ser doido ou um imbecil, pq perder o seu tempo e fazer algo dessa natureza deve ser um marginal e pobre de espirito.

SERVIÇOSNE10


Vitrine NE10
Fechar vídeo