Mobilização

Delegados protestam no Recife por melhores condições de trabalho

Publicado em 02/07/2015, às 09h41 | Atualizado em 02/07/2015, às 11h33

Do NE10

Protesto é em frente à Seplag / Foto: Comuniq

Protesto é em frente à Seplag Foto: Comuniq

Dezenas de delegados da Polícia Civil de Pernambuco estão mobilizados na manhã desta quinta-feira (2), na Rua da Aurora, em frente à sede da Secretaria Estadual de Planejamento e Gestão (Seplag), no Centro do Recife. O ato pede melhores condições de trabalho e reajuste salarial para a categoria.

O protesto começou por volta das 8h30, com concentração na calçada à margem do Rio Capibaribe. Os manifestantes saíram em passeata para o Palácio do Campo das Princesas. O ato saiu, por volta das 10h30, pela Avenida Mário Melo e pela Rua do Hospício.

"A categoria está sendo tratada como lixo no Estado. As delegacias estão sucateadas, não é feito concurso para escrivão e agente de polícia, e o trabalho é em cima de recompensas. Além disso, temos o pior salário do País e somos a terceira melhor polícia, o que é um contrassenso em um governo é lastreado em um programa de segurança pública", afirmou o presidente da Associação dos Delegados de Polícia de Pernambuco, Francisco Rodrigues.

Embora uma das reivindicações principais seja a valorização da carreira, com o reajuste salarial, o aumento solicitado pelos delegados não tem porcentagem definida e não seria totalmente para este ano. "O nosso salário inicial é de R$ 9 mil, enquanto a média nacional é de R$ 15 mil. Queremos uma remuneração equivalente à do País em três anos. Nós sabemos que este ano o Estado passa por uma crise muito forte", disse.

Além da questão salarial, a categoria aponta condições de trabalho ruins nas delegacias. "A da Macaxeira, por exemplo, está em calamidade pública. Lá, se convive com sujeira, ratos e baratas. As condições são insalubres", apontou Rodrigues.

Em maio, durante a paralisação da categoria, o Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol) denunciou ao NE10 falta de materiais, como água e até de papel para imprimir os inquéritos. Segundo a entidade, a situação é ainda pior no interior pernambucano, onde algumas unidades deixam de funcionar por falta de efetivo. No mesmo período, o Cidade Viva debateu o assunto.

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.

  • De: ubiratan- 02/07/2015 18:09 Hoje a polícia civil de Pernambuco deu um grande passo na sua história, meu nome é Ubiratan Comissário aposentado, nunca na história da PCPE, poderia imaginar que o SINPOL E ADEPPE, superiores e subordinados, que juntos no dia dia trabalham no combate ao crime com o preço da própria vida, quantos delegados e policiais morreram em serviço em Pernambuco. Hoje dia 02 de julho de 2015 vai ficar para história da polícia civil de Pernambuco depois de mais de duzentos anos o presidente da ADEPPE, o Delegado Francisco Rodrigues e o presidente do SINPOPE, o Comissário Áureo Cisneiros uniram as forças para reivindicar os direitos dos POLICIAIS CIVIS DE PERNAMBUCO. SE JUNTOS SOMOS FORTE NO COMBATE AO CRIME, UNIDOS SEREMOS MUITO MAIS FORTE PARA LUTAR PELOS NOSSOS DIREITOS ADEP-PE, SINPOL-PE, MIPC-PE, IML-PE, ITB-PE, IC-PE e ACOM-PE, UNIDOS ESTAREMOS SEMPRE FORTE.
  • De: TOBIAS LIMA- 02/07/2015 15:03 O protesto não foi apenas dos delegados, mas de toda a polícia civil: delegados, agentes, escrivãos, peritos, etc.
  • De: ubiratan- 02/07/2015 14:54 Hoje a polícia civil de Pernambuco deu um grande passo na sua história, meu nome é Ubiratan Comissário aposentado, nunca na história da PCPE, poderia imaginar que o SINPOL E ADEPPE, superiores e subordinados, que juntos no dia dia trabalham no combate ao crime com o preço da própria vida, quantos delegados e policiais morreram em serviço em Pernambuco. Hoje dia 02 de julho de 2015 vai ficar para história da polícia civil de Pernambuco depois de mais de duzentos anos o presidente da ADEPPE, o Delegado Francisco Rodrigues e o presidente do SINPOPE, o Comissário Áureo Cisneiros uniram as forças para reivindicar os direitos dos POLICIAIS CIVIS DE PERNAMBUCO. SE JUNTOS SOMOS FORTE NO COMBATE AO CRIME, UNIDOS SEREMOS MUITO MAIS FORTE PARA LUTAR PELOS NOSSOS DIREITOS ADEP-PE, SINPOL-PE, MIPC-PE, IML-PE, ITB-PE, IC-PE e ACOM-PE, UNIDOS ESTAREMOS SEMPRE FORTE.
  • De: MARTINS- 02/07/2015 12:54 Resalvo que o protesto foi dos Policiais Civis, ou seja, os Delegados fazem parte da categoria.

Vitrine NE10
Fechar vídeo