Lei do Piso

Professores de Pernambuco decretam greve por tempo indeterminado

Publicado em 10/04/2015, às 17h59 | Atualizado em 10/04/2015, às 21h28

Do NE10

Categoria se reuniu na quadra do Clube Português, nesta sexta-feira, no Recife / Foto: Julierme Antonio/Comuniq

Categoria se reuniu na quadra do Clube Português, nesta sexta-feira, no Recife Foto: Julierme Antonio/Comuniq

Os professores ligados à rede estadual de ensino em Pernambuco decretaram greve por tempo indeterminado na tarde desta sexta-feira (10). Mais de 1.500 representantes da categoria estiveram reunidos na quadra do Clube Português, área central do Recife, para decidir os rumos das mobilizações que começaram no mês de março.

Os professores cobram o cumprimento da Lei do Piso Salarial (11.738/2008), que garante o reajuste de 13,01% a todos os professores da rede e não apenas aos profissionais com nível médio, como determina o projeto aprovado pela Assembleia Legislativa (Alepe) no último dia 31 de março.

No projeto aprovado na Alepe, os parlamentares aceitaram que o reajuste de 13,01% no salário seja dado apenas aos profissionais com nível médio (antigo Magistério). Já o profissional com licenciatura plena e dez anos de serviço na rede receberá 0,89% de aumento. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe), a proposta deixa de fora de qualquer reajuste salarial para 45.750 professores.

Com a decretação da greve, mais de 650 mil alunos matriculados na rede estadual de ensino ficarão sem aula já a partir desta segunda-feira (13). Uma nova assembleia da categoria está prevista para a sexta-feira (17) à tarde, ainda sem local definido.

Por meio de nota divulgada na noite desta sexta, o Governo de Pernambuco informou que não haverá negociação com a categoria até que seja suspensa a paralisação declarada no fim desta tarde e a consequente volta ao trabalho dos professores.

Além disso, o Governo do Estado afirma que mantém o compromisso de pagar o Piso Salarial dos professores e que mantinha a negociação com a categoria até a terceira rodada de conversas quando (segundo o Governo) o Sintepe decretou "estado de greve".

Leia na íntegra o posicionamento do Governo de Pernambuco sobre a greve dos professores:

"O Governo do Estado de Pernambuco reafirma o compromisso de pagar o Piso Salarial dos professores, com a aprovação da Lei 15.465 de 08 de abril de 2015, conforme determinação do Ministério da Educação (MEC).

Com o cumprimento do Piso Nacional, retroativo a janeiro, o Governo do Estado, através das secretarias de Administração (SAD) e Educação (SEE), iniciou negociação com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe), com vistas a estabelecer percentual de reajuste para os professores com nível superior e que será aplicado a todos os níveis da carreira.

Ressalta-se que, mesmo antes da realização da primeira rodada de negociação, o Sintepe, em atitude inusitada, já havia decretado “Estado de Greve” e paralisações, o que não alterou o propósito do Governo de continuar dialogando.

Após a terceira rodada de negociação, em Assembleia realizada hoje (10/04), o Sintepe rompeu o diálogo e decretou greve, por tempo indeterminado, prejudicando o ano letivo dos alunos da Rede Pública de Ensino e suas famílias.

Diante desse fato, o Governo de Pernambuco manifesta intenção de continuar negociando, porém não haverá negociação até que haja suspensão da paralisação e consequente retorno ao trabalho."

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.

  • De: FEDERAÇÃO ANARCOSSINDICAL - BR- 18/04/2015 14:20 Manifestamos deste modo o nosso total apoio e solidariedadade com @s professores de Pernambuco que mais não fazem que usar os meios disponíveis para exigir o que lhes é devido. Defendemos uma igualitarização de salários a todos os níveis. O congelamento de salários de políticos e deputados. Chamamos à atenção para a necessidade dos trabalhadores controlarem a gestão da riqueza produzida, pois os aumentos salariais são levados facilmente pelo aumento do preço dos bens essenciais e em termos práticos os trabalhadores em vez de ficarem melhor acabem por ver baixar o seu poder aquisitivo e com ele a sua qualidade de vida. NEM ESTADO, NEM GOVERNO, NEM IGREJA, NEM PATRÃO: AUTOGESTÃO!
  • De: Layanne- 12/04/2015 01:37 Sou aluna da rede estadual e concordo plenamente que os professores faça greve, pois todos os professores tem o direito de um salaria reajustado, mais mesmo assim não vou negar que fico preocupada com a reposição destas aulas perdidas e capaz que nós alunos e os nossos professores percamos boa parte de nossas feria só que temos que ter plena consciência que o mais importante e sabe que os professores vão receber um pouco do que eles merecem por que para eles recebem tudo que merecem precisa de muito mais. Não sei se esqueceram de que é a partir dos professores que existem outras profissões ,eu acho que os políticos não se lembram que foi os professores que contribuíram no que eles são hoje. Sem os professores ninguém iria a uma faculdade, não existiria empresas é outar coisas. Então e por isso que eu apoio os professores por que eles são importantes OBRIGADA PROFESSORES !!!!!!!
  • De: CARLOS- 11/04/2015 18:06 Vivemos uma escravidão legalizada! O mal do nosso país não são os professores ou os trabalhadores de um modo geral, mas o GRANDE MAL, são os políticos que reajustam os seus próprios salários e que não pensam nos trabalhadores de todos os setores. Vejam a lei das terceiralizações... Educação só é prioridade nos discursos eleitoreiros! MINISTÉRIO PÚBLICO HONRADO DE PERNAMBUCO analise, julgue e faça cumprir a Lei federal... deveriam diminuir significativamente o número de políticos e as suas renumerações e vantagens! A sociedade vive sem políticos, mas não sobrevive sem educação! Que DEUS ilumine a todos e conceda não o que queremos, mas o que precisamos...
  • De: Vanildo Pereira Pontes- 11/04/2015 13:42 Parabéns professores, concordo com a greve Paulo Câmara passou a campanha mentindo e agora quer ser o certinho, vamos a luta.
  • De: Mário- 11/04/2015 10:39 Em São Paulo e no Paraná os professores continuam firmes em busca da melhoria da Educação. Vamos ver o que o Ministério Público do PSB , perdão ,de Pernambuco vai fazer.
  • De: eduardo- 11/04/2015 08:25 engraçado que todos os anos tem greve, a nossa educação já é uma porcaria e com greve anual!!!
  • De: Sandra Alves- 10/04/2015 23:54 Os professores têm sido desvalorizados e desrespeitados em todo o território nacional.Não à toa, primeiro, os profissionais do Estado do Paraná entraram em greve, depois os do Estado de São Paulo ( ainda em greve), agora os de Pernambuco. Melhor seria se os professores de todo o país fizessem o mesmo. Como uma Pátria Educadora pode destratar assim seus educadores?
  • De: Marcelo Santos- 10/04/2015 19:46 Já era hora dos professores endurecer em o discurso com um governo que promove um verdadeiro estelionato eleitoral.
VEJA MAIS COMENTÁRIOS

Vitrine NE10
Fechar vídeo