Réplica

Promotora rebate teses da defesa e ironiza interrogatórios de canibais

Publicado em 14/11/2014, às 17h54 | Atualizado em 14/11/2014, às 18h12

Malu SilveiraDo NE10

Eliane Gaia rebateu a tese de que um dos três acusados pudesse sofrer de distúrbios mentais / Fotos: Luiz Pessoa/NE10

Eliane Gaia rebateu a tese de que um dos três acusados pudesse sofrer de distúrbios mentais Fotos: Luiz Pessoa/NE10

Por pouco mais de uma hora, a promotora Eliane Gaia rebateu as teses sustentadas pelas defesas de Jorge Beltrão, 52 anos; Isabel Pires, 53; e Bruna Cristina, 28 - acusados de matar, esquartejar e comer a carne da jovem Jéssica Camila Pereira da Silva, em maio de 2008 - no segundo dia do júri popular do trio que ficou conhecido como "Os canibais de Garanhuns". "Eu não sei como tentam converter os acusados em santos. Santa Isabel, Santa Bruna e São Jorge", ironizou a promotora em um discurso marcado por discussões entre as partes e falas afiadas.

#JÚRIDOSCANIBAIS
» Entenda o caso

Em sua réplica, Eliane Gaia voltou a questionar a relação que Jorge Beltrão tinha com seus familiares, o crime de falsidade ideológica - já que Bruna também é acusada de assumir identidade da vítima - e, principalmente, o modo como Jéssica Camila, à época com 17 anos, foi assassinada. "Se eles não são culpados, só existe um culpado então: Jéssica. Ela se auto-esquartejou, se auto-ocultou e por aí vai, não é?!", ironizou.

Em todos os momentos, a promotora do MPPE (Ministério Público de Pernambuco) rebateu a tese de que um dos três acusados pudesse sofrer de distúrbios mentais. "Caiam nessa, jurados, excluam a culpabilidade, reduzam a pena. É isso que o Jorge quer. Ou seja, mata, come e vai para casa de tratar", provocou Eliane Gaia.

A ré Bruna Cristina foi a que se mostrou mais agitada durante a réplica da promotoria. A todo momento, se mexia na cadeira, tentava contato com Jorge, ria de alguma questão levantada pela promotora, falava com o advogado Rômulo Lyra ou respondia as retóricas feitas pelo MPPE. "Bruna é estrela hoje. Ela gosta! E amanhã, hein, Bruna, como será?!", indagou a promotora olhando diretamente para a acusada.

Eliane Gaia voltou a questionar a relação que Jorge (foto) tinha com seus familiares

Eliane Gaia voltou a questionar a relação que Jorge (foto) tinha com seus familiares

O discurso da promotora foi bastante interrompido pela defensora pública Tereza Joacy, designada para defender o réu Jorge Beltrão. Em alguns momentos, as duas partes chegaram a discutir e a juíza Maria Segunda Gomes de Lima precisou intervir. "É preciso ter muita paciência para ouvir, depois de tudo que eles (acusados) disseram ontem, que a defesa queira diminuição de pena ou absolvição", declarou Eliane Gaia aos jurados.

A ré Bruna foi a que se mostrou mais agitada com a réplica da promotoria

A ré Bruna foi a que se mostrou mais agitada com a réplica da promotoria

Por fim, a promotora voltou a falar para o Conselho de Sentença sobre a situação de Jéssica, moradora de rua que foi morar com trio depois de receber uma oferta de emprego. "Gostaria que vocês pensassem na vida diferente que Jéssica teria se ela não tivesse conhecido dona Isabel. Se Jorge não tivesse criado essa seita. Se Bruna não tivesse fugido de casa para morar com ele", defendeu. A filha da vítima, na época com 1 ano de idade e que foi com a mãe viver com o trio, também foi lembrada. "E eu queria um futuro diferente para a filha de Jéssica, que está com vários problemas psicológicos hoje. Uma criança de sete anos de idade que conta com riqueza de detalhes os crimes que eles cometeram", finalizou.

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20

Julgamento dos "canibais" em Olinda

Promotora Eliane Gaia participa do julgamento
Crédito: Luiz Pessoa/ NE10

Julgamento dos "canibais" em Olinda

Tereza Joacy (de cabelo curto), defensora pública de Jorge Beltrão
Crédito: Luiz Pessoa/ NE10

Julgamento dos "canibais" em Olinda

Isabel Cristina é esposa de Jorge Beltrão e também acusada
Crédito: Luiz Pessoa/ NE10

Julgamento dos "canibais" em Olinda

Bruna Cristina Oliveira da Silva completa o trio de acusados de canibalismo
Crédito: Luiz Pessoa/ NE10

Julgamento dos "canibais" em Olinda

Júri popular acontece no Fórum de Olinda
Crédito: Luiz Pessoa/ NE10

Julgamento dos "canibais" em Olinda

Jorge Beltrão Negromonte é um dos acusados
Crédito: Luiz Pessoa/ NE10

Julgamento dos "canibais" em Olinda

Isabel Cristina é esposa de Jorge Beltrão e também acusada
Crédito: Luiz Pessoa/ NE10

Julgamento dos "canibais" em Olinda

Bruna Cristina Oliveira da Silva completa o trio de acusados de canibalismo
Crédito: Luiz Pessoa/ NE10

Julgamento dos "canibais" em Olinda

Delegado que conduziu o inquérito Paulo Berenguer
Crédito: Luiz Pessoa/ NE10

Julgamento dos "canibais" em Olinda

Os acusados confessaram os crimes durante as investigações da Polícia
Crédito: Luiz Pessoa/ NE10

Julgamento dos "canibais" em Olinda

Após o assassinato de Jéssica, Bruna assumiu a identidade dela
Crédito: Luiz Pessoa/ NE10

Julgamento dos "canibais" em Olinda

O trio passou a criar a filha da vítima
Crédito: Luiz Pessoa/ NE10

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.

  • De: Yara- 14/11/2014 19:43 Não dá para entender como é que um advogado de defesa se empenhe tanto para absolver réus confessos de crime tão hediondo quanto este. Será que não lhe passa pela cabeça que os psicopatas, uma vez soltos, podem vir a matar, esquartejar e comer alguém da sua família? Uma filha ou sobrinha, por exemplo? Pelo amor de Deus ponham esses carcarás na cadeia.
  • De: vivi- 14/11/2014 19:00 so nao sei pra que tanta policia pra escoltar uma pessoas algemada.
  • De: Carla- 14/11/2014 18:53 Fosse esse um país decente e sairíam do tribunal diretamente para o corredor da morte...

Vitrine NE10
Vitrine NE10
Fechar vídeo