2º dia de julgamento

Advogado de Isabel apela para suposta dependência emocional em debate

Publicado em 14/11/2014, às 15h10 | Atualizado em 14/11/2014, às 18h13

Amanda Miranda Do NE10

Paulo Sales tenta incriminar Jorge e ressaltar que Isabel participou do crime por amor a ele / Foto: Luiz Pessoa/ NE10

Paulo Sales tenta incriminar Jorge e ressaltar que Isabel participou do crime por amor a ele Foto: Luiz Pessoa/ NE10

"Uma pessoa que só, sem mais ninguém, é um tormento para si". Foi o que disse o advogado Paulo Sales, defensor de Isabel Cristina, 53 anos, ré no caso dos "canibais de Garanhuns", durante segundo dia de julgamento em Olinda, Grande Recife, nesta sexta-feira (14). O representante usou como estratégia explorar a suposta dependência emocional da acusada em relação a Jorge Beltrão, 51, seu ex-marido por mais 30 anos e também réu no processo. O advogado tentou incriminá-lo e ressaltar que Isabel participou do crime por amor a ele. Enquanto isso, ela chorava e tremia, mantendo a cabeça baixa.

#JÚRIDOSCANIBAIS
» Entenda o caso
» Acompanhe o julgamento em tempo real

No início da sua fala de 50 minutos, o advogado fez uma análise do comportamento de Jorge, considerado por ele violento, com poder de liderança e de dominação. Paulo Sales relembrou ainda que Bruna Cristina, 28, a última ré, declarou nessa quinta (13), no seu interrogatório, ter sido agredida pelo acusado algumas vezes.

Com esse argumento, chegou à sua tese: de sugerir que, como acontece na Síndrome de Estocolmo, Isabel teria se afeiçoado ao seu agressor. "Essa senhora abdicou da própria estima em favor dele. Enquanto era acusação contra ela, ficava calada. Quando era com Jorge, balançava a cabeça e dizia não. Vejam a entrega", afirmou.

O advogado tentou convencer os jurados de que houve coação moral irresistível; Isabel sendo influenciada pelo acusado para cometer o crime. "A defesa não nega que houve participação. Levou Jéssica para casa inicialmente com a intenção de criar a filha da vítima", exemplificou. "Como ela iria se desligar de Jorge sem ser uma vítima", disse ainda. Dessa forma, pediu que fosse excluída a culpa dela pelo assassinato, pelo esquartejamento e ocultação do cadáver de Jéssica.

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.

  • De: de souza- 14/11/2014 16:24 esses advogado e suas artemanhas para absolver ou diminuir a pena desse infelizes agora e tarde o mal ja foi feito agora e acertar as contas com a justica
  • De: Claudio- 14/11/2014 15:53 Esse advogado deveria ser preso por defender assassinos, deveria honrar as calças que veste. Gastou 50 minutos para justificar o assassinato de crianças? por amor??? Ah, me poupe!!!
  • De: Edson- 14/11/2014 15:51 Esses advogado... como pode defender um ser abominável desse, dependência emocional, tirar vidas, cortar os corpos e fazer coxinha, e muita ruindade, muita falta de Deus no coração, merece apodrecer numa cadeia, nas piores condições sub-humanas

Vitrine NE10
Vitrine NE10
Fechar vídeo