Confusão

Confundido com motorista do Uber, estudante é agredido por taxistas no Recife

Publicado em 24/04/2016 , às 17 h30

Do JC Trânsito

Estudante afirmou que levou socos e chutes dos taxistas / Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem

Estudante afirmou que levou socos e chutes dos taxistas Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem

Três taxistas são acusados pelo estudante de direito Thiago Magalhães, 21 anos, de agredi-lo na tarde desse sábado (23), no bairro da Torre, na Zona Oeste do Recife. Os suspeitos teriam confundido o jovem, que vestia roupas sociais e dirigia um Classic branco, com motorista do Uber. Esse não foi o primeiro caso de confusão envolvendo motoristas de táxi e do aplicativo na capital pernambucana. A associação que representa os taxistas na cidade, no entanto, nega a agressão.

Jovem relata que taxistas chutaram o joelho dele

Jovem relata que taxistas chutaram o joelho deleFoto: Thiago Magalhães/Cortesia

Thiago saía de casa, por volta das 14h40, para ir a uma reunião, quando um táxi bateu na lateral direita do carro dele. "Parei a uns 20 metros para ver o que tinha acontecido e desci para falar com ele (o motorista), achando ainda que era colisão de trânsito normal", contou. "Ele já veio me agredindo. Deu um soco, mas consegui desviar. Depois acertou meu rosto e eu bati nele também. Até então era uma briga entre duas pessoas, quando mais dois taxistas chegaram", relatou ainda ao JC Trânsito. O caso foi publicado no perfil do estudante no Facebook e, até as 16h deste domingo (24), tinha mais de 650 compartilhamentos.

O jovem contou que um dos taxistas que também o agrediram chegou pela mesma rua, próximo ao Atacado dos Presentes, e parou o veículo entre ele e o carro, para que ele não pudesse sair. "Esse taxista me deu uma rasteira e, quando caí, os dois pisaram no meu joelho e me chutaram. Consegui me defender de alguns golpes e vi que pessoas ao redor começaram a gritar que três contra um era covardia. Foi aí que ouvi quando um chamou o outro para ir embora", afirmou. Uma mulher anotou as placas dos táxis e entregou o papel a Thiago.

Em meio à polêmica sobre o Uber no Recife, relato do estudante teve centenas de compartilhamentos no Facebook

Em meio à polêmica sobre o Uber no Recife, relato do estudante teve centenas de compartilhamentos no Facebook Foto: Thiago Magalhães/Cortesia

O jovem recebeu atendimento médico e foi até Delegacia do Cordeiro, também na Zona Oeste. Porém, só havia um policial, que afirmou que ele teria que prestar queixa na Central de Flagrantes, na Zona Norte. Lá, esperou cerca de duas horas e meia e foi informado de que o Boletim de Ocorrência não poderia ser registrado porque a internet não estava funcionando e a previsão para que o serviço fosse retomado era de 48 horas. Thiago foi orientado, então, a ir ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), de onde poderia ser encaminhado ao Instituto de Medicina Legal (IML) para fazer um exame traumatológico à noite. O estudante deve voltar ao DHPP, no bairro do Cordeiro, nesta segunda-feira (25), para tentar fazer o registro novamente.

O advogado Gilmar de Oliveira, que vai representar o jovem, afirmou que entrará na Justiça contra os taxistas acusados pelo jovem, identificados até agora pelas placas dos carros. Além disso, nesta segunda-feira, enviará ofícios ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE), pedindo que o órgão intervenha junto à Prefeitura do Recife em relação aos taxistas e ao Uber, e ao secretário de Mobilidade e Controle Urbano da cidade, João Braga, solicitando providências. "Estou esperando as investigações. Já há vários casos, mas sou o primeiro caso de alguém que não tem nada a ver com o Uber ser agredido por taxistas", afirmou o jovem.

O presidente da Associação dos Profissionais Condutores Auxiliares de Táxi do Recife, Sandro Cavalcanti, negou que taxistas tenham agredido o rapaz. "A categoria dos taxistas do Recife não recebe orientação para partir para agressão ou violência. Na realidade, são os motoristas da Uber que estão fazendo provocações, especialmente ao redor dos estabelecimentos onde há pontos de táxi, como o BarChef e o Bar Central. Até filas os motoristas da Uber chegam a fazer em pontos como esses e ficam se exibindo. A categoria dos taxistas é que está mais sofrendo com isso."

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.

  • De: José- 25/04/2016 21:46 Taxistas que se cuidem, uma inflação de transito não justifica um crime, artigo 146 do código penal, pena de 3 meses a 2 anos. em breve teremos noticias sobre este assunto.
  • De: André- 25/04/2016 19:04 Absurdo. Mas depois daquele circo na Câmara em Brasília, aqui no Brasil, nada mais me impressiona.
  • De: Marcelo Martins- 25/04/2016 18:54 Taxista é tudo b@ndido. E o que prejudica ainda mais é que o sindicato ao invés de apurar e punir os envolvidos, fica defendendo. Aí é que não melhoram seus serviços nem seu comportamento. Viva a inovação - viva o UBER.
  • De: rodoupho- 25/04/2016 16:10 1) Lei Federal 12.468/2011, que determina que “é atividade exclusiva dos profissionais taxistas a utilização de veículo automotor, próprio ou de terceiros, para o transporte público individual remunerado de passageiros”. 2) "Em se tratando de autorização para exercício de profissão, para cujo desempenho há múltiplos cidadãos interessados em obter autorização idêntica, cabe ao poder público, em decorrência dos princípios constitucionais da isonomia e da impessoalidade, controlar os destinatários dessas autorizações e permitir que os interessados a elas concorram de maneira equânime e impessoal, sem favoritismos nem perseguições", afirma Janot. Para Janot, a livre comercialização ou transferência das autorizações é incompatível com a Constituição Federal. Por isso, o poder público precisa impedir que taxistas autorizados repassem, mediante pagamento, as autorizações a quem lhes oferecer maior retribuição Venda de alvará de taxi é proibida.
  • De: Maria- 25/04/2016 14:48 O que as autoridades estão esperando para resolver este impasse entre Taxistas x Uber??? Todos os dias tem denúncia de atrito pois os taxistas não aceitam o Uber... Ahhh....já sei, estão esperando uma morte para começar a tomar as providências....
  • De: rodoupho- 25/04/2016 14:38 Peguem as placas dos carros e facam denuncia na ouvidoria no site da prefeitura do recife. Esses marginais travestidos de taxistas tem que perder o ALVARA!!! "Em se tratando de autorização para exercício de profissão, para cujo desempenho há múltiplos cidadãos interessados em obter autorização idêntica, cabe ao poder público, em decorrência dos princípios constitucionais da isonomia e da impessoalidade, controlar os destinatários dessas autorizações e permitir que os interessados a elas concorram de maneira equânime e impessoal, sem favoritismos nem perseguições", afirma Janot. Para Janot, a livre comercialização ou transferência das autorizações é incompatível com a Constituição Federal. Por isso, o poder público precisa impedir que taxistas autorizados repassem, mediante pagamento, as autorizações a quem lhes oferecer maior retribuição
  • De: DIEGO FERREIRA- 25/04/2016 12:00 sou UBER tampe tenho um Prisma preto completo de tudo, oferece agua, balas e chocolates para os meus clientes, caso algum taxista venha me agredir já estou preparado para para revidar. ai eu quero ver as autoridades tomar providencias
  • De: daniel- 25/04/2016 10:15 em que ponto chega o ser humano impedir o outro de ir e vir porque o carro e branco e veste se socialmente.
  • De: Ana- 25/04/2016 09:50 A prefeitura está se isentando e deixando a população à mercê desses marginais travestidos de taxistas. Deviam ter licenças cassadas.
  • De: Hamilton Lazaro Batista Oliveira- 25/04/2016 08:54 Lembro que o sol é para todos e a livre concorrência é um direito de cada categoria de trabalho. Os taxistas estão dando um tiro no pé, tão usando de agressão para resolver a questão. Isso torna favorável ao UBER, Pois, mostra que a classe dos taxistas só tem desordeiros, com exceções.
  • De: Gustavo Oliveira- 25/04/2016 08:50 UMA VERGONHA, O CAMARADA CHEGA PARA FAZER UM BO NA DELEGACIA E NÃO CONSEGUE.
  • De: Sérgio Dias- 25/04/2016 06:28 Mentira. Esse pessoal não atende bem e agora se vendo ameaçado tenta impedir a livre concorrência. Por que, ao invés de partirem para a agressão, não buscam melhorar o serviço? Muitas vezes tentei apanhar um táxi e eles negaram o serviço alegando que o lugar para onde eu queria ir tinha trânsito. Vejo a chegada do UBER como positiva e passarei a utilizar esse serviço com mais frequência.
  • De: EMANUEL- 24/04/2016 22:05 Deviam publicar as placas dos taxis que participarem desses eventos de agressão. Não é justo que a população esteja sujeita a entrar num carro com um motorista que pratique violência. É muito perigoso!
  • De: Barack- 24/04/2016 22:04 Não uso mais táxi, só por represália. Mesmo se for para pagar mais caro pelo Uber, ainda vou de Uber. Viva ao Uber e fora esses taxistas!!!
  • De: Luis- 24/04/2016 21:23 mesmo que o rapaz fosse motorista do Uber não haveria justificativa para a agressão. Além disso, como esse taxista burro não sabe que o Uber trabalha com carros pretos. Além disso surgiram outro covardes para agredir o rapaz. Qualquer hora podem pegar um bandido armado se passando por Uber. Depois vai ser uma tristeza. Lembro que sou contra o Uber sem a devida regulamentação, mas, antes de tudo, não aceito covardia.
VEJA MAIS COMENTÁRIOS

SERVIÇOSNE10


Vitrine NE10
Vitrine NE10
Fechar vídeo