Apicultura

Produção de mel é fonte de renda para moradores do Sertão de PE

Publicado em 17/03/2017 , às 12 h03

NE10 Interior

Apicultura (criação de abelhas para extrair mel ou própolis) é praticada em diversos municípios do Sertão de PE / Foto: divulgação/Bruno Rocha/Codevasf

Apicultura (criação de abelhas para extrair mel ou própolis) é praticada em diversos municípios do Sertão de PE Foto: divulgação/Bruno Rocha/Codevasf

A apicultura (criação de abelhas para extrair mel ou própolis) é praticada em diversos municípios do Sertão de Pernambuco e serve como fonte de renda para os moradores da região. De acordo com dados da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), o Brasil produz cerca de 30 quilos de mel por colmeia por ano. A quantidade varia a depender da região, florada, nível tecnológico, condições climáticas, entre outros.

Morador de Araripina, no Sertão do Araripe, Edmilson Alves de Sousa, 53 anos, é apicultor há cerca de 11. Ele é presidente de uma associação que reúne 39 apicultores do Sítio Riacho Fundo, localizado no distrito de Gergelim. "Em 2016, foram em torno de 19 toneladas de mel retiradas", conta Edmilson, referindo-se aos números do recolhido por todos os apicultores da associação.

Brasil produz cerca de 30 quilos de mel por colmeia por ano

Brasil produz cerca de 30 quilos de mel por colmeia por anoFoto: divulgação/Bruno Rocha/Codevasf

Juntos, os produtores têm aproximadamente 2.900 colmeias e comercializam mel e própolis em uma loja mantida pela associação na cidade. O mel é vendido em garrafas e baldes em Araripina, Ouricuri, outros municípios da região e até no Piauí. "Estamos assinando um pré-contrato com uma empresa de Santa Catarina para vender para lá também", comemora.



Investimentos

Cerca de 500 famílias já foram beneficiadas, no período de 2012 a 2016, por ações de incentivo à apicultura realizadas pela Codevasf. Com o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Regional do Ministério da Integração Nacional (SDR/MI), foram investidos cerca de R$ 7,5 milhões para a construção de unidades de extração e beneficiamento de mel e a doação de equipamentos e kits apícolas, capacitações e acompanhamento das ações.

Os municípios de Araripina, Bodocó, Exu, Moreilândia, Petrolina, Quixabá, Santa Filomena e Serra Talhada receberam 250 kits de produção familiar. Em Afogados da Ingazeira, Inajá, Moreilândia, Araripina e Santa Filomena foram construídas sete unidades de beneficiamento de mel. Em Petrolândia, os apicultores serão beneficiados com duas unidades de beneficiamento do produto, que estão em fase de conclusão. Já em Manari, a unidade foi reformada.

PALAVRAS-CHAVE: sertão mel interior apicultura

Continue Lendo

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.

  • De: carlos alves- 17/03/2017 16:52 pena que voce nao mencionem os investimentos do governo de estado tambem nesse seguimento, que permitiu tambem consolidar a cadeia. Se voce quiser os numeros, valores e ações dar-lhe-ei sem problemas. Em riacho fundo tambem investimos

SERVIÇOSNE10


Vitrine NE10
Vitrine NE10
Fechar vídeo