RH Positivo

Qual a hora certa para mudar de carreira?

Publicado em 02/06/2017, às 16h14 | Atualizado em 02/06/2017, às 16h23

Por Fabiana Soares*

Pesquisa aponta que mais de 58% das pessoas gostariam de largar tudo e começar uma nova carreira / Foto: Pixabay

Pesquisa aponta que mais de 58% das pessoas gostariam de largar tudo e começar uma nova carreira Foto: Pixabay

No mundo corporativo, é comum encontrarmos executivos que adiam a possibilidade de diversificar a atuação profissional, apesar de almejarem conciliar a própria rotina com outros desafios. Dados de uma pesquisa realizada pela Pactive Consultoria (2013) revelam que, num grupo com 1.006 entrevistados, mais de 58% gostariam de largar tudo e começar uma nova carreira e ainda, que 65% gostariam de fazer algo mais ligado à sua personalidade.

Entretanto, com jornadas cada vez mais extensas, viagens e projetos constantes, o dia a dia requer dedicação exclusiva e, muitas vezes, até a família passa a ser segundo plano. Associado a esses fatores, o medo de arriscar e a insegurança de tentar algo novo são apontados na pesquisa, como influenciadores na decisão de tentar uma carreira diferente.

O melhor caminho a seguir

À medida que o tempo passa, as prioridades são revistas. É quando uma reflexão de carreira ou mesmo a crise enfrentada no país, remete a uma daquelas encruzilhadas e precisa-se rapidamente decidir o melhor caminho a seguir. Mas e se forem vários os caminhos a percorrer em detrimento de apenas um?



É possível dispor da bagagem profissional de várias formas: para alunos desejosos da expertise com mercado de trabalho, oxigenando o rico conteúdo do universo acadêmico; em empresas diversas que necessitam de conteúdo técnico e gerencial para auxiliá-las a melhorar seus processos e gestão; no segmento de empreendedorismo, fomentando inovação e tecnologia; além das iniciativas sociais, apoiando-as na transformação da sociedade e ainda, da comunidade em geral, por meio de ações voluntárias.

A hora de mudar de carreira é particular de cada indivíduo, mas, em algum momento, esse convite baterá à porta. E para apoiá-lo, no momento de transição, existem profissionais muito bons e especializadas no tema que podem assessorar nas decisões, no mapeamento de suas potencialidades e nos passos seguintes.

Dessa forma, é importante planejar-se buscando parcerias adequadas, orientação, mentoria ou aquela boa e sábia conversa com os mais velhos. Certamente, esses lhe dirão para seguir em frente, rumo ao novo. Afinal, olhando para os lados, percebe-se que não se está sozinho nessa marcha incessante de mudanças, na busca de uma vida plena e feliz.

* Fabiana Soares é assessora da Presidência da ABRH PE e diretora da AUDITARH – Consultoria em Gestão de Risco Organizacional


*As colunas assinadas não refletem, necessariamente, a opinião do NE10

PALAVRAS-CHAVE: carreira notícias rh positivo

RH Positivo ABRH-PE Esta coluna é uma parceria com a Associação Brasileira de Recursos Humanos em Pernambuco (ABRH-PE). abrhpe@abrhpe.com.br

Continue Lendo

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.

Vitrine NE10
Vitrine NE10
Fechar vídeo