Doses de Foco

Não deixe para depois o que você pode fazer agora!

Publicado em 08/01/2018, às 20h58 | Atualizado em 08/01/2018, às 20h59

Por Dani Maciel

A procrastinação é o hábito de deixar tudo para depois, o problema é que ela gera muitas consequências / Foto:

A procrastinação é o hábito de deixar tudo para depois, o problema é que ela gera muitas consequências Foto:

O ano enfim começou, tem gente que o ano só começa em fevereiro, ou até depois do carnaval, mas para alguns já começou. O que vem em mente é o que eu quero desse ano? Que marca você quer deixar na vida das pessoas? O ano que passou para mim foi superação, e para você? Esse ano já defini, será “abundância”, sair do mindset da escassez e se reprogramar para abundância, esse será também o tema do post da segunda-feira dia 22 de janeiro. Que tal pensar na sua marca?

Sendo o resultado consequência da performance, de acordo com Tim Gallwey é preciso potencializar ao máximo o desempenho e banir as interferências (Performance = Potencial – Interferências). A chave para uma boa performance é aprender a lidar com as interferências que vão surgindo e diminuindo cada vez mais seu impacto. Que tal começar entendendo um pouco mais a procrastinação. Você já ouviu falar? Já sentiu os seus efeitos colaterais? Já percebeu que precisa combatê-la.

A procrastinação é o hábito de deixar tudo para depois, o problema é que ela gera muitas consequências, tais como: ansiedade, estresse, irritação, sensação de culpa, perda de produtividade e vergonha (post anterior). O primeiro ponto a ser avaliado é o quanto a procrastinação tem impactado negativamente a tua vida, pois ela é uma vulnerabilidade, por isso é tão importante falar dela, pois se não tratada vira uma interferência para tua excelência na performance (desempenho).

E essa é uma excelente época para auto avaliação, pois os resultados são sem dúvida reflexos da atuação da procrastinação sobre nós. Ao escrever esse texto, fui sendo tomada por uma sensação indescritível de vitória. Não deixar o texto para depois foi sem dúvida um exercício de coerência, aproveitei o máximo a vontade de escrever, consegui me conectar com a motivação, sobretudo com o futuro no presente. E pensar "vou acabar de atualizar esse texto tarde da noite, e tenho que levantar às 5h da manhã para uma aula de Kickboxing", ainda pensei em desistir, mas eu não estaria sendo coerente com esse texto. Logo, foi maravilhoso não procrastinar nem no texto e nem na aula, fui tomada por uma sensação indescritível de liberdade.

Mas por que seria tão mais fácil desistir e adiar? Quando as ações de hoje são pautadas para o futuro, cria-se na nossa mente a ilusão de não ser urgente, por isso passa-se a escolher sempre ações que não nos tiram da zona de conforto primeiro. Então, se tiver que escolher entre ir para praia ou escrever o seu livro, se você for um procrastinador, você escolherá ir para a praia, mesmo que tenha um sonho de ser escritor. Para escrever, muitas emoções são mobilizadas: medo de não escrever bem, medo de ser rejeitado, medo de ser lido, medo de não ser lido e por aí vai. Logo, ir para praia mesmo não sendo prioritário se torna necessário, pois entra no sistema de recompensa que foi ativada pelo gatilho do medo.

Os procrastinadores são excelentes planejadores, geralmente são mais teóricos, mais complexos, mas perfeccionistas, o perigo é o alto grau de exigência consigo. Quais os profissionais que estão aptos a ajudar a trabalhar a procrastinação? Coaches, psicólogos e psiquiatras. O coach pode ajudar desde elaboração do objetivo aos desmembramentos das atividades para o atingimento dele. O coach pode desenvolver com o coachee a gestão de energia, reprogramação neural, dá ritmo às ações, monitorar o tempo em relação as ações definidas, em resumo pode ajudar na construção de novos hábitos.

O psicólogo analisará de maneira mais profunda os danos em sua vida e as marcas mentais que estão sendo deixadas, quais as conexões da construção desse hábito com a tua história de vida e o que é possível reformular e trabalhar de forma cognitiva. O psiquiatra vai avaliar se o processo é fisiológico, de acordo com Douglas Dantas: “Pesquisas sobre as raízes fisiológicas da procrastinação, na sua grande maioria, foca-se no envolvimento do córtex pré-frontal. Essa área do cérebro é responsável por funções de execução cerebral como planejamento, controle de impulsos, atenção, e age como um filtro diminuindo estímulos que causam distração, que vêm de outras regiões do cérebro. Lesões ou baixa utilização dessa área podem reduzir a capacidade de uma pessoa de filtrar estímulos que causam distração, resultando em má organização, perda de atenção e aumento de procrastinação.

Isso é similar ao papel do lobo pré-frontal no Transtorno do Défice de Atenção com Hiperatividade (TDAH), onde é comum a sua subutilização. Pois bem, esses estudos da neurociência demonstra de forma clara a região do pré-frontal como atingida no processo de decisão na pessoa. “Se você já entendeu que você é um procrastinador, como então trabalhar isso? Posso te deixar algumas dicas baseadas em minha experimentação, que não é baseada na quantidade, mas sim na realidade e em leituras anteriores:

1. Se observe quanto aos prazos, ao cumprimento de sua agenda, aos e não desmarque em hipótese alguma;
2. Planeje sua agenda semanal e de maneira disciplinada dê baixa em cada tarefa realizada e celebre;
3. Procure achar prazer nas tarefas, sempre traga a sua mente para o momento presente, isso espantará a ansiedade;
4. Use os dias como unidade de medida, ao invés de colocar que falta um mês para uma determinada ação, faça a contagem por dias, assim traz mais realidade para seu planejamento;
5. Peça ajuda a amigos e profissionais citados acima, isso vai ter fortalecer e vai reconquistar sua auto confiança;
6. Elabore pequenas tarefas para dar comandos ao seu cérebro que finalizou, assim vai construindo um novo hábito, o de iniciar, desenvolver e finalizar;
7. Remova suas distrações com os ladrões do tempo: uso das redes sociais em excesso;
8. Defina três ações para semana, faça uma de cada vez e não coloque nenhuma outra, enquanto não realizá-las;
9. Utilize alarmes para o gerenciamento do tempo em cada tarefa;
10. Estabeleça a performance que você quer ter, pois quem procrastina está sempre usando sua capacidade mínima de potencial, imagine você rodando com a sua capacidade elevada.

Espero do fundo do coração que espante essa interferência, e que não procrastine sua felicidade. Não deixe para depois o que você pode fazer agora!

No próximo post vamos da revolução do pouquinho e teremos uma entrevista com Eduardo Zugaib. Boa semana!


*As colunas assinadas não refletem, necessariamente, a opinião do NE10

PALAVRAS-CHAVE: notícias doses de foco

Doses de Foco Danielle Maciel Brandão É Diretora Executiva do GPTW PE/AL, coach Executiva e de Carreira, professora MBA em Gestão de Pessoas e Negócios , consultora em Gestão de Pessoas e mestre em Geociências pela UFPE em 2001. dani.maciel@greatplacetowork.com

Continue Lendo

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.

Vitrine NE10
Vitrine NE10
Fechar vídeo