A mulher e a lei

Delegacia da Mulher do Recife inaugura sala de acolhimento

Publicado em 27/11/2017, às 06h58 | Atualizado em 27/11/2017, às 06h58

Por Gleide Ângelo

A criação de Salas de Acolhimento é mais uma forma de te encorajar a denunciar, pois você será acolhida e ouvida por uma profissional preparada. / Foto: Heudes Régis/JC Imagem

A criação de Salas de Acolhimento é mais uma forma de te encorajar a denunciar, pois você será acolhida e ouvida por uma profissional preparada. Foto: Heudes Régis/JC Imagem

No artigo de hoje falarei sobre o mais novo serviço oferecido na 1ª Delegacia Especializada da Mulher do Recife às vítimas de violência doméstica e familiar, a Sala de Acolhimento. Esse projeto foi criado pela Gestora da 1ª Delegacia Especializada da Mulher, delegada Ana Elisa Sobreira, juntamente com toda sua equipe formada por delegadas adjuntas, agentes de polícia e escrivães. Todos juntos tiveram a excelente ideia de lançar na delegacia uma Sala de Acolhimento, colocando assim em prática o projeto de atendimento humanizado.

DELEGADA ANA ELISA SOBREIRA FALA SOBRE A IMPORTÂNCIA DA SALA

A sala tem como ideia proporcionar um melhor acolhimento à vítima de violência doméstica e familiar contra a mulher, que geralmente chega bem apreensiva e insegura em uma delegacia de polícia, em face de todo o sofrimento que já vem enfrentando em sua trajetória de vida. Ao chegar à delegacia, essa mulher será acolhida por profissionais preparadas para uma escuta ativa dos problemas sofridos diante da violência.

No mesmo ambiente da Sala de Acolhimento foi pensando também um espaço que pudesse levar um melhor acolhimento para as crianças, que em alguns casos acompanham as mães diante do atendimento na delegacia. Por isso, foram colocadas uma pequena estrutura de brinquedos, mesinha e outros objetos voltados ao publico infantil.

Com essa simples ação, a delegada Ana Elisa Sobreira e toda a sua equipe tem o objetivo de proporcionar uma ação direta na melhoria do atendimento da mulher (vitima), evitando assim que a mulher seja mais uma vez vitimizada por falta de um atendimento de qualidade.

A Sala de Acolhimento foi inaugurada no dia 23/11 e já está em funcionamento. A proposta do Departamento de Polícia da Mulher (DPMUL) é o de estender a ideia da delegada Ana Elisa Sobreira para as outras Delegacias da Mulher. O atendimento humanizado faz com que as mulheres se sintam respeitadas e seguras para denunciar o agressor. São ações como essas que encorajam as mulheres a confiar e acreditar que serão protegidas pela Lei Maria da Penha.

Amiga, já falei em diversos Artigos que existem vários Mecanismos de Proteção criados pela Lei Maria da Penha. A mulher vítima de violência doméstica e familiar não pode ser vitimizada outra vez quando chega à delegacia. A criação de Salas de Acolhimento é mais uma forma de te encorajar a denunciar, pois você será acolhida e ouvida por uma profissional preparada para te escutar. Você será informada de todos os seus direitos e procedimentos que serão adotados pela polícia.

A Rede de Enfrentamento à Violência está cada dia mais fortalecida para te proteger. Basta agora você dar o primeiro passo e denunciar. Não sofra calada, na delegacia de polícia tem uma profissional pronta para te escutar e te ajudar a romper o ciclo da violência em que você vive. A Sala de Acolhimento está pronta, os profissionais também, só falta você dar o primeiro passo rumo à delegacia. Tome uma decisão, estamos te aguardando. Deixe a polícia te ajudar!

VOCÊ NÃO ESTÁ SOZINHA!

EM QUAIS ÓRGÃOS BUSCAR AJUDA - VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER:

» Centro de Referência Clarice Lispector – (81) 3355.3008/ 3009/ 3010
» Centro de Referência da Mulher Maristela Just - (81) 3468-2485
» Centro de Referência da Mulher Márcia Dangremon - 0800.281.2008
» Centro de Referência Maria Purcina Siqueira Souto de Atendimento à Mulher – (81) 3524.9107
» Central de atendimento Cidadã pernambucana 0800.281.8187
» Central de Atendimento à Mulher do Governo Federal - 180
» Polícia - 190 (se a violência estiver ocorrendo) - 190 MULHER


*As colunas assinadas não refletem, necessariamente, a opinião do NE10

PALAVRAS-CHAVE: notícias a mulher e a lei

A mulher e a lei Gleide Ângelo é delegada especial, gestora do Departamento da Mulher. gleideangelo@gmail.com

Continue Lendo

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.

Vitrine NE10
Vitrine NE10
Fechar vídeo