Agressão em escola

Câmera flagra mãe e filho agredindo vice-diretora em escola de SP

Publicado em 16/02/2017 , às 16 h35

NE10

Mulher foi chamada ao local para uma conversa devido ao mau comportamento do aluno / Foto: reprodução do vídeo

Mulher foi chamada ao local para uma conversa devido ao mau comportamento do aluno Foto: reprodução do vídeo

A vice-direta da escola estadual Jardim Rossin em Campinas, no interior de São Paulo, foi agredida dentro das dependências da unidade de ensino e a cena foi flagrada pelas câmeras de segurança do local. Os agressores são uma mãe e seu filho adolescente de 14 anos, aluno da instituição. As informações sobre o caso dão conta de que a mãe foi chamada ao local para uma conversa sobre o mau comportamento do filho, que havia se negado a realizar uma tarefa escolar e teria mostrado seu órgão genital para a vice-diretora.

No vídeo é possível ver a mulher carregando um bebê e conversando com a docente na porta de uma sala, com o menino - aluno da escola - um pouco mais afastado. Na sequência, ele também se aproxima delas, mas sem se envolver a princípio. Em seguida a mulher entrega o bebê para o filho e passa a se dirigir para alguém que está dentro da sala, com a vice-diretora ao seu lado.



Em um certo momento a vice-diretora faz algum comentário e a reação imediata da mãe é agredi-la. O jovem coloca a criança em um banco e também parte para agredir a docente. A situação termina numa confusão que envolve outras pessoas. É possível identificar mãe e filho desferindo socos e pontapés contra a professora. A cena termina após um grupo de pessoas intervir e conter os agressores.

Docente prestou queixa e aluno será transferido de escola

Em nota, a Diretoria Regional de Ensino de Campinas afirmou que “lamenta profundamente a conduta da mãe do aluno e do adolescente” e que a professora registrou boletim de ocorrência a respeito do acontecido. A administração regional apontou também que “presta todo o apoio à docente e a escola mantém medidas pedagógicas e educacionais para que casos assim sejam evitados”.

O caso, que aconteceu no último dia 14, será investigado pela polícia. A Secretaria de Educação do Estado de São Paulo informou que aluno será transferido para uma nova instituição, já que não há como mantê-lo na unidade após a agressão.

Continue Lendo

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.

  • De: Roberto Tesch- 17/02/2017 11:56 Estão dizendo que a polícia irá investigar, se for feita uma investigação isenta poderemos saber exatamente o que aconteceu para poder opinar, afinal, dependendo do que a sub-diretora disse antes de ser agredida, poderia ter de ser ela a mudar de colégio e até ser presa, quem sabe? Só lamento a reportagem não ter conversado com a mãe do aluno e assim ficamos sabendo parcialmente de apenas a versão de um dos lados.
  • De: josue- 17/02/2017 11:08 Agora, se fosse a professora ou a diretora que agredisse (mesmo em legítima defesa)... A polícia e justiça vinha que inha em velocidade.
  • De: tesla- 17/02/2017 10:42 Isso acontece todos os dias nas escolas, por isso a justiça paga depois danos morais para bandidos pressos....
  • De: Zé Bob- 17/02/2017 10:38 Os valores estão invertidos: 1) professor apanhando de alunos e pais; 2) Bandidos dando ordens ao Estado; 3) Cidadãos, que deveriam ser de bem, saqueiam lojas porque a polícia está em greve. Será que isto tem ligação?
  • De: marcelo- 17/02/2017 10:35 Pelo menos o filho mais novo é comportado... Ficou quietinho no banco.
  • De: Luiz- 17/02/2017 10:25 Que triste exemplo essa covarde mãe deu para o delinquente filho.
  • De: ademar- 17/02/2017 10:23 de que adianta comentar, se nao temos segurança para os professores dentro da escola! e estes marginais de menor, podem bater e nao vao presos! nao acontece nada com eles! depois vem os direito humanos do cacete. querer interferir
  • De: Irineu Queiroz dos Santos- 17/02/2017 10:12 Na minha juventude os pais eram aliados dos professores para ajudar na formação dos estudantes, hoje com o ECA os pais e alunos são violentos e ditadores, assim pais e filhos se tornam criminosos. EMPOLI
  • De: ernani- 17/02/2017 10:06 Vergonha. Se fosse juiz colocaria essa peste na cadeia por uns anos e ai serviria de exemplo para que os pais eduquem esses monstros que eles criaram.
  • De: Renato Borges- 17/02/2017 10:03 Vejamos o que é educação,a mãe é uma pessoa totalmente descontrolada e agressiva,o filho segue no mesmo caminho e aquele pobre bebê terá o mesmo destino,uma família de marginais,é isso que eles são.
  • De: Edson Santiago- 17/02/2017 09:47 Fruto da educação, melhor dizendo deseducação recebida, no meu tempo teria sido expulso e seria encaminhado para uma instituição reformadora e a mãe aos rigores da lei.
  • De: Wagner Ramos- 17/02/2017 09:39 Esse é o nosso Brasil, onde os alunos fazem o querem e se sentem intocáveis, dá pra ver o EXEMPLO que esse aluno tem em casa... e certas mães ao invés de repreenderem seus filhos, vão contra àqueles que estão tentando transferir algum conhecimento para que esses filhos sejam cidadãos de bem, um alguém no futuro. Educação vem do "Berço", e vc a leva consigo seja onde for, no meio Familiar, na Escola, no Trabalho, na Comunidade onde se vive, enfim, para nossa vida. É lamentável... esperamos que cenas como essa não se repitam.
  • De: Laercio- 17/02/2017 09:31 Transferir para outra escola NÃO, esse moleque deveria ser transferido para FEBEM ( fundação casa é piada) e a mãe para a cadeia. Enquanto não existir educação e justiça nesse País nunca deixaremos de ser isso que somos, um povinho provinciano.
  • De: alfonso- 17/02/2017 09:31 so no Brasil mesmo. se fosse num pais serio, a dupla pegaria minimo de 14 anos de regime fechado.
  • De: Fabiana- 17/02/2017 09:28 Hã? O estuprador transferido de escola, ao invés de preso? E a mulher vítima que sofreu o assédio, vai sofrer as consequencias, enquanto o bandido marginal é meramente transferido de escola? Ah ja sei. Se encostar um dedo no facínora, vem um monte de vermes dar xilique, É um país de merda mesmo.
  • De: FRANCISCO ADONIRAN BRAGA RAMOS- 17/02/2017 09:28 QUEM SÃO ESSES "JORNALISTAS" NÃO VIRAM O VÍDEO? ACUSADOS? ELES AGREDIRAM SIM !!!!
  • De: PAULO EUGENIO RAMOS- 17/02/2017 09:28 Bom dia, por esse exemplo de mãe que os presídios tem super lotação, o passar a mão na cabeça do filho, protegendo "criando um futuro delinquente".
  • De: lucas- 17/02/2017 09:23 bem feito, tinha que ter apanhado mais. o aluno ta certo, se fosse minha mae tbm nao deixava a diretora tentar bater nao.
  • De: Marcello- 17/02/2017 09:11 A coisa não é tão simples assim. Nada justifica a violência mas vejam no YT a história por trás dessa cena. O caso não é apenas uma questão de certo/errado mas tem nuances que a matéria não investiga.
  • De: Camilo Filho- 17/02/2017 09:07 O adolescente, o cara é um tremendo marmanjo. Ambos deveriam ser presos, mas como aqui é a Bananolândia, devem processar a professora, a escola, o estado e o país. Receberão uma bela bolada e nunca mais trabalharão!
  • De: AWanderley- 17/02/2017 08:44 Uns 6 meses de prisão para a mãe e expulsão sumária do marginal "dimenor" resolveria. Vão enviar o problema para outra escola e por em risco outros alunos e professores. É assim que a marginália toma conta do pais.
  • De: emanuel- 17/02/2017 08:43 Ainda bem que as câmeras pegaram.O Brasil é um país civilizado, mesmo.Um exemplo.Se fosse num outro de terceiro mundo como europa ou nos eua, mãe e filho já estariam na cadeia.Mas isso é coisa de país atrasado.
  • De: Gerard- 17/02/2017 08:42 Cenas de "um bandido em formação".
  • De: Monteiro- 17/02/2017 08:21 Esse acontecimento é apenas mais uma aula pública de como criar um bandido. No futuro a mãe ainda deverá ficar orgulhosa de sua criação.
  • De: Antonio Waldemar Gomes- 17/02/2017 08:17 Apanha por ser irônica, FSP vai rever seus conceitos de civilidade. Vergonha e ofensa aos nossos professores e ao povo de bem.
  • De: erico luiz werner- 17/02/2017 08:10 Daqui 4 anos veremos a foto dele estampada nos álbuns da polícia. Aliás, ele tem a mesma cara e biotipo de 99,9% dos demais membros do referido álbum.
  • De: Alessandro dos Reis- 17/02/2017 08:03 Falta punição neste pais, esta pessoa que passa este tipo de in-valor ao filho, se é que é filho, alias isto virou meio de vida, querem transporte, merenda, uniforme, material e responsabilidade zero, antes de ficar procriando igual coelho, deveriam avaliar se tem condições de cuidar do filho, com educação, saúde e estrutura familiar, agora a vice diretora e a professora que ganham um miséria, afinal não são do seleto grupo da "POLITICALHA" brasileira, simplesmente vai ser deixado pra lá´? Brasil país da impunidade!
  • De: Wendel- 17/02/2017 07:38 Educação se aprende em casa, na escola se obtém "conhecimento". Essa mãe está criando um futuro bandido. E ainda está dando cobertura a isso...Triste...
  • De: Victor Hugo- 17/02/2017 07:35 Tudo errado. A própria Coordenadoria deveria saber que alunos problemáticos costumam vir de famílias e pais desajustados, desequilibrados. O assunto não poderia ser discutido na porta da sala de aula. A agressora deve ser processada, punida e obrigada a indenizar a agredida. Somente assim, pensará duas vezes antes de expor os outros a este tipo de humilhação.
  • De: Isabel- 17/02/2017 07:34 Dá para perceber oque estamos passando, dá ? e por quais razões ninguém quer ir mais para sala de aula ........
  • De: Luiz SP 30- 17/02/2017 07:32 Diante de algo de tamanha barbaridade como pode o aluno apenas ser expulso do colégio, isso é um futuro bandido, tem que ser é preso, cadeia pra mostra o exemplo e isso não tornar-se uma tendência! Estou extremamente desapontado com as medidas corretivas desse país, se uma criança tem essa boiada imagina um bandido! Lamentável.
  • De: Alisson- 17/02/2017 07:31 É lamentável o que ocorre com nossos heróis. Sim, heróis! pois ser professor (uma das profissões mais importantes) no Brasil tem que ser herói.
  • De: Marcio Della Rosa- 17/02/2017 07:26 Revoltante... as "raízes do Brasil" são a escravidão e a falta de educação; os "frutos", a corrupção e o "jeitinho" brasileiro, cordial e trapaceiro (e violento)... :(
  • De: George- 17/02/2017 07:03 Dizer o que destas pessoas, são fruto de um ambiente totalmente insalubre. Provavelmente o pai deve ser alcoólatra, se não estiver preso, devem morar em uma favela, a mãe pelo vista não tem condições mínimas de educar os próprios filhos. O futuro deste moleque é virar traficante, ladrão como deve ser o pai e aumentar a lotação carcerária do estado. Lamentável.
  • De: sauldavi- 17/02/2017 06:50 Ele deveria ser banido de todas as escolas públicas do Brasil, aí nunca fariam isso, mas como no Brasil menor pode tudo....
  • De: Jorge- 17/02/2017 06:49 Tem que bater na v a g a b u n d a da mãe e no m a r g i n a l do filho... bando de safados... depois reclama que o país ta essa merda!!!!!!!
  • De: Paulo- 17/02/2017 06:23 Tal mãe tal filho.
  • De: Darsio- 17/02/2017 05:07 Vida de professor! Quando não é a polícia quem bate a mando de governos, são pais de alunos inconsequentes.
  • De: Ednaldo Barbosa- 16/02/2017 23:09 ABSURDO.Que loucura dessa diretora , onde já se viu tá chamando a mãe pra resolver problemas de comportamento dos filhos , incomodar a pobre mãe que tem afazeres domésticos pra fazer e não pode dar atenção à educação do filho , que diga-se de passagem , é obrigação dos professores , muito bem remunerados para isso (ganham menos que um PM) . Ah, e esses professores que ficam com essa loucura de querer ensinar boas maneiras aos estudantes de periferia ? E esse coitado de apenas quatorze anos que não sabe o que faz de tão inocente . Tadinho , não sabe dar sequer um murro , já que seu direto apenas derrubou a diretora e não a nocauteou . O coitadinho tem que estudar onde ele quiser , vai separar o pobrezinho do convívio dos amigos da escola ? Quem tem que ser transferida é a diretora que não sabe lidar com situações cotidianas enfrentadas pelos professores no Brasil , que são e devem ser desrespeitados cotidianamente .
  • De: barbara teresa arauijo lopes- 16/02/2017 21:27 vc deus mao que de fe
  • De: Luiz Félix de freitas Silva Félix- 16/02/2017 21:11 Uma cena absurda. Dois marginais, mãe e filho agridem a vice-diretora da referida escola. A mãe, péssima educadora, o filho, aprendiz de marginal. Eram para estar presos sumariamente. Esse marginal iniciante deveria ter sido encaminhado para um SPA, vulgarmente conhecido por Funase. Um cidadão revoltado. Luiz Félix.
  • De: sivanildo de sousa martins- 16/02/2017 19:15 Lamentável,é por esse motivo, que não recomendo,perde tempo estudando para ensinar ou trabalhar no sistema educacional brasileiro.As famílias devem dar bons exemplos aos filhos e não estimular a violência.
  • De: Marcelo Martins- 16/02/2017 19:08 aluno não - marginal! não deveria ser transferido e sim expulso e ponto final. Mas claro o ECA, os Direitos humanos e todo o aparato da OAB (Ordem dos Advogados dos Bandidos) sempre estarão presentes para cuidar desses pobrezinhos...
VEJA MAIS COMENTÁRIOS

SERVIÇOSNE10


Vitrine NE10
Vitrine NE10
Fechar vídeo