Praia do Paiva

Mais de cem ovos de tartarugas marinhas prestes a eclodir no Paiva

Publicado em 05/12/2016 , às 17 h55

NE10

O nascimento dos filhotes ocorre entre 45 e 60 dias após a postura dos ovos, a depender da temperatura da areia da praia / Foto: Divulgação

O nascimento dos filhotes ocorre entre 45 e 60 dias após a postura dos ovos, a depender da temperatura da areia da praia Foto: Divulgação

Desovados no início de agosto, 122 ovos de tartarugas marinhas estão prestes a eclodir até a noite do sábado (10), na praia do Paiva, localizada no Cabo de Santo Agostinho, Região Metropolitana do Recife. O nascimento dos filhotes ocorre entre 45 e 60 dias após a postura dos ovos, a depender da temperatura da areia da praia. O monitoramento do ninho, depositado em frente ao stand de vendas da Reserva do Paiva, está sendo realizado diariamente pela equipe da Associação Geral da Reserva do Paiva (AGRP).

De acordo com a associação, a temperatura da areia é fator determinante na diferenciação do sexo dos filhotes. No nascimento, um filhote ajuda o outro, com movimentos sincronizados, retirando a areia, até o alcance da superfície. O período de desova das tartarugas marinhas geralmente tem início nos primeiros dias de setembro. Neste ano, o trabalho de observação da AGRP começou mais cedo. O primeiro ninho foi encontrado no dia 11 de agosto, em frente ao condomínio local Vila dos Corais, e nele havia 107 ovos. Outros 85 ovos eclodiram no dia cinco de novembro, em frente ao condomínio Morada da Península. 

Associação Geral da Reserva do Paiva

Entre as atribuições da AGRP está cuidar da segurança, do patrimônio, da limpeza e conservação do bairro planejado Reserva do Paiva, além de cuidar da sustentabilidade e gestão da orla.  A extensão da localidade abrange 8,5 km de praia, além de rio, área de mangue e de mata. Uma das ações realizadas para promover a sustentabilidade ambiental no bairro foi a regulamentação dos tipos de usos e de atividades a serem desenvolvidas na praia.

Em janeiro e em setembro deste ano, a associação realizou uma ação dedicada à preservação das tartarugas marinhas, a fim de promover o respeito aos animais e de preparar os moradores e frequentadores da praia para uma convivência harmoniosa com a natureza. Foram feitas visitas guiadas a ninhos isolados na praia, que tinham por objetivo transformar as crianças em agentes multiplicadores da preservação das espécies – algumas delas ameaçadas de extinção.

Além da visita, as crianças conheceram a história da tartaruga "Paivinha" e sua saga até a desova, e participaram de brincadeiras lúdicas sobre o tema. Já no ano passado, a associação iniciou um trabalho de preservação das tartarugas marinhas e acompanhamento das desovas, desde as imediações do parque do Paiva até a Ilha do Amor, em Jaboatão dos Guararapes. O trabalho somou oito km de praia, nove ninhos e cerca de mil ovos.

Continue Lendo

COMENTE ESTA MATÉRIA

Nome:
E-mail
Mensagem

O comentário é de total responsabilidade do internauta que o inseriu. O NE10 reserva-se o direito de não publicar mensagens com palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.

  • De: Mariândrea Souza- 05/12/2016 19:22 Reportagem mal elabora. Seria bom se informar mais com o especialista da Associação Geral da Reserva do Paiva e fazer um texto com um conteúdo correto sobre o desenvolvimento embrionário das tartarugas marinhas.

SERVIÇOSNE10


Vitrine NE10
Vitrine NE10
Fechar vídeo